Portal RP-Bahia Boletim Orgulho de Ser RP RP TV - A primeira TV com conteúdo voltado às Relações Públicas do mundo! A rádio on-line do Portal RP-Bahia O jornal on-line atualizado minuto a minuto
 
Página inicial
  Ano 8 • nº 25 • Salvador/BA • Fev, 2010 • ISSN 1809-1687
 
     
  RP EM REVISTA  

Capa

Entrevista

Artigos Acadêmicos

Em Foco

Opinião

Especial

Espaço do Internauta

História

Equipe

Novo Projeto Editorial

 

Outras Edições:

01 | 02 | 03 | 04 | 05 | 06 | 07 | 08 | 09 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24

 

     
  EDITORIAL  

Quem vai querer um curso de Comunicação Organizacional aí?

A denominação relações públicas nos cursos de comunicação parece mesmo que está com os seus dias contados. Há muito tempo que grandes referências nacionais da área já falam sobre isso e já trabalham seus projetos com a denominação “comunicação organizacional e relações públicas”, como forma de fortalecê-los e legitimá-los.

O termo relações públicas remete a conceitos muito amplos que vão muito além do que a área de comunicação tem a oferecer. Quando se trata de um curso de graduação, que está alocado dentro da área de comunicação, no final das contas o que se vê, ou pelo menos o que as instituições têm a oferecer, é mesmo apenas a comunicação organizacional, salvo raríssimas exceções.

Além disso, o termo comunicação organizacional consegue alcançar melhor as pessoas que desejam trabalhar com relações públicas mais não sabem que é assim que se chama o que eles querem fazer: trabalhar com a gestão da comunicação e dos relacionamentos no âmbito das organizações.

A própria lei que regulamenta a profissão institui como PRIVATIVA de relações públicas tantas atividades, em tantas esferas diferentes, que termina por descredibilizar a profissão no âmbito das organizações, uma vez que seria impossível um curso formar um profissional com um perfil capaz de assumir todas elas. Se esse profissional existisse deveria assumir o Sistema Conferp, que está cada vez pior. Não consegue mais nem realizar uma eleição e só funciona uma vez por ano: na hora da cobrança da anuidade.

Por outro lado, enquanto os patéticos guardiões do termo relações públicas brincam de fazer politicagem nos cargos ilustrativos dos conselhos, o mercado anda veloz, é sagaz e não está nem um pouco preocupado com os medíocres. Ele já descobriu um modo “mágico” de burlar a fiscalização dos “fies” conselheiros e fazer o seu negócio crescer: basta mudar de relações públicas para comunicação organizacional. Mais prático, mais barato, mais agregador, mais conciliador, mais lucrativo. Quem vai querer um curso de Comunicação Organizacional aí?

     
  EXPEDIENTE  
Editores:
Esp. Márcia Carvalhal
Esp. Marcello Chamusca

Colaboradores:
Luiz Alves
Ricardo Moraleida
Roberto Fonseca Vieira

Conselho Editorial:
Ms. Cida Ferraz
Esp. Marcello Chamusca

Comissão Científica:
Dr. Fábio França
Dr. Wilson Bueno
Dra. Maria José C. Oliveira
Dr. Marcial Murciano
Dr. Gerardo Albarrán

Edição e Diagramação:
Esp. Marcello Chamusca

 
 
  ENTREVISTA  

Vida Inteligente na blogosfera mineira

O prof. Ricardo Moraleida, relações-públicas mineiro, fala sem medo de desagradar sobre o cenário de RP no Brasil.

» confira »

 
 
  ARTIGOS ACADÊMICOS  
 

Nesta edição foram publicados oito artigos acadêmicos sobre temas variados e de autores de várias partes do Brasil.

» confira »

 
 
 
  EM FOCO  

RELAÇÕES PÚBLICAS CRESCE COM A CRISE: MATÉRIA DO NÓS DA COMUNICAÇÃO.
Por: Marcello Chamusca

» confira »

     
 
  OPINIÃO  
 

O RESGATE DA COMPREENSÃO MÚTUA NA VALORIAZAÇÃO DAS RELAÇÕES PÚBLICAS: NOSSO DESAFIO?
Por: Roberto Fonseca Vieira

» confira »

 
 
 
  ESPECIAL  

ANTES DA GESTÃO, O CONHECIMENTO: DA TEORIA À PRÁTICA
Por: Luiz Alves

» confira »

 
Central de relacionamentos Conheça todos os sites do Portal RP-Bahia Seja um colaborador voluntário do Portal RP-Bahia